Lula, réu em ação na Lava Jato, tem depoimento marcado. Veja a data

lula6

Audiência de Lula, réu por obstrução de justiça, estava prevista para 17 de fevereiro, mas foi adiada a pedido da defesa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai depor na Justiça Federal de Brasília no dia 14 de março. Ela prestará esclarecimentos na ação em que é réu, acusado de ter tentado atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Inicialmente, ele falaria no dia 17 de fevereiro, mas o depoimento foi adiado a pedido da defesa do ex-presidente.

Lula e mais seis pessoas, incluindo o ex-senador Delcídio Amaral e o banqueiro André Esteves, são acusados de ter tentado comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, que estava negociando uma delação com o Ministério Público Federal (MPF). Delcídio chegou a ser preso por isso. No fim, Cerveró e, posteriormente o próprio Delcídio, se tornaram delatores e passaram a colaborar com as investigações.

“Defiro o pedido da defesa e designo o dia 14/03/2017 às 10h para o interrogatório do acusado Luiz Inácio sem prejuízo da realização do interrogatório dos demais denunciados já marcado para o dia 17/02/2017”, diz trecho do despacho do juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília.

Além de Lula, Esteves e Delcídio, também são réus o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula; o filho dele, Maurício Bulai; Diogo Ferreira, ex-assessor de Delcídio; e Edson Ribeiro, ex-advogado de Cerveró.

Delcídio foi preso em novembro de 2015 após ser flagrado em gravação tentando comprar o silêncio de Cerveró. Posteriormente, ele se tornou colaborador e foi solto. Em sua delação premiada, o ex-senador acusou Lula de participação na tentativa, frustrada, de derrubada da delação de Cerveró. Segundo Delcídio, o ex-presidente agiu para que a família Bumlai interferisse, inclusive financeiramente, nos rumos da colaboração do ex-diretor da Petrobras.

Delcídio disse ter procurado Maurício Bumlai e obtido repasses em dinheiro vivo. O próprio senador disse ter feito um repasse de R$ 50 mil ao advogado de Cerveró, Edson Ferreira. Os dados bancários mostram uma movimentação financeira pouco antes dos repasses em dinheiro vivo, conforme a denúncia.

Ainda segundo a delação, André Esteves participou da trama. A assessoria do banqueiro alega que, depois disso, em 16 de maio deste ano, em entrevista ao programa “Roda Viva”, Delcídio isentou Esteves de culpa.

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s