Cunhado ajudou na destruição de provas, insinua Marcelo Odebrecht

BBIFAxe

Em depoimento sigiloso prestado à Polícia Federal em dezembro, Marcelo Odebrecht afirmou que Maurício Ferro, seu cunhado e presidente jurídico da Odebrecht, foi um dos responsáveis pelo término do Setor de Operações Estruturadas do grupo, que viria a ficar conhecido como o setor de propinas da empresa.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o próprio Marcelo, à época presidente do grupo, pediu a Ferro que “saneasse” e desse fim ao departamento, em ação que pode ser interpretada como obstrução de Justiça.

Maurício Ferro não integra o grupo de 78 delatores da Odebrecht. Já Marcelo ficou preso durante dois anos e meio e, a partir do final do ano passado, passou a cumprir prisão domiciliar.

Com informações Folha de S. Paulo

Anúncios