Líder diz que ’46 centavos é ofensa’ e que protesto segue pelo menos até 4ª

m-bild.php

Apesar do acordo anunciado pelo governo na véspera, alguns caminhoneiros continuam mobilizados em rodovias do país nesta segunda-feira (28). É o caso da Régis Bittencourt, no sentido Curitiba, na altura do km 279, perto de Embu das Artes (SP).

Líderes do movimento, que não quiseram se identificar, falam em mais de 7.500 caminhões estacionados e prometem continuar no local pelo menos até quarta-feira (30). Eles já estão parados nesse ponto da estrada desde terça passada (22), um dia após a greve se espalhar pelo país.

“Vamos continuar por enquanto, até porque 46 centavos é uma ofensa para a gente. Não adianta nada no nosso trabalho”, disse uma liderança, que preferiu não informar seu nome.

A população local tem apoiado o movimento, com doação de água e comida e até empréstimo de banheiros químicos.

Na tarde desta segunda, cerca de mil habitantes da região confraternizavam com os caminhoneiros, segurando bandeiras do Brasil, faixas pedindo a renúncia do presidente Michel Temer e mensagens a favor de uma intervenção militar.

A população local tem apoiado o movimento, com doação de água e comida e até empréstimo de banheiros químicos.

Na tarde desta segunda, cerca de mil habitantes da região confraternizavam com os caminhoneiros, segurando bandeiras do Brasil, faixas pedindo a renúncia do presidente Michel Temer e mensagens a favor de uma intervenção militar.

“A intervenção é uma das nossas causas. A gente se comunica por grupo de WhatsApp, sabe que muitas cidades estão no limite de operação. A intervenção é uma realidade, pode acontecer já. Esperamos que a sociedade entenda que essa é uma luta de todos”, afirmou um líder dos caminhoneiros, também sem se identificar.

UOL

 

Anúncios