Seis garimpos clandestinos são desativados no interior do AP em ação do Exército Brasileiro

img-20181217-wa0024

A operação Keriniutu, ocorrida entre os dias 2 e 12 de dezembro, desativou seis garimpos clandestinos que atuavam em Oiapoque e Pedra Branca do Amapari, nas zonas Norte e Centro-Oeste do Amapá. O trabalho, feito pelo Exército Brasileiro, também apreendeu três balsas, ferramentas, maquinários e materiais químicos usados na extração ilegal de ouro.

Cinco garimpos clandestinos estavam localizados em Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá, e um em Pedra Branca do Amapari, distante 183 quilômetros da capital.

De acordo com o Exército, o objetivo da ação foi controlar crimes transfronteiriços que causam danos ambientais aos rios e florestas da Amazônia.

As três balsas apreendidas foram encontradas no Rio Cassiporé. Também foi apreendido mercúrio, produto químico usado pelos garimpeiros para extração do minério. Ferramentas e maquinários que os homens utilizavam não tinham regulamentação para uso.

Uma ação social também fez parte da operação Keriniutu. O Exército foi até a comunidade Kumarumã, localizada na terra indígena Galibi, e realizou atendimentos odontológicos, vacinação, exames de saúde e orientações de manejo sustentável da fauna e flora da região.

Durante os procedimentos da operação, o Exército contou com apoio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), Fundação Nacional do Índio (Funai), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Secretaria de Saúde de Oiapoque.

Anúncios